.

sábado, 27 de maio de 2017

“NOTÍCIAS FALSAS E DESENCANTO”


Luiz Carlos Formiga

O que é a morte?
Procuramos responder ao aluno que nos dirigiu a questão no Núcleo Espírita Universitário.
Disse-lhe que a resposta dependia da vertente da ciência, em que o pesquisador estivesse inserido. Necessário também indagar o que somos. “Hoje conhecemos melhor o átomo, do que a mente que conhece o átomo”.
Disse-lhe ainda que a via como a interrupção do fenômeno da reencarnação. Uma mudança do estilo de vida. (1)
Se o acadêmico da medicina se aprofundou posteriormente no assunto, certamente não chegará ao triste fim do médico Pedro Nava. (2)
Depois da morte espero que não fique em dúvidas e venha a se indagar: “serei, por acaso, um espírito?” (3)
O grande problema meu será depois da morte “baixar num Centro”, e assinar a psicografia: “espírito de Formiga.”
Coitado do médium!
Já estamos acostumados com “Bezerra”.
Outro problema que envolve a morte é a sua “cultura” como no aborto no Brasil. Ela virou indriso na Associação Espírita de Évora. (4)
A existência da alma e sua sobrevivência após a morte é tema crucial para a educação, porque pode influenciar a hierarquia de valores, os padrões éticos e ainda o comportamento humano.
Por não possuírem conhecimento, profissionais materialistas que militam na educação defendem ideias hedonistas, incluindo “princípio da pedofilia”. (5)
Assim é o fim do mundo na “cracolândia”. Perde-se a família, o emprego, a dignidade e a razão. (6)
“Naquela manhã eu acordei tarde, de bode. Com tudo que sei, acendi uma vela e pasmei. O dia ficou noite, o sol foi pro além, eu preciso de alguém, meu mundo acabou.” (7)
Voltemos à “morte morrida”.
Existe a morte anunciada, como falou Betinho. (8)
Uma senhora anunciou a morte do orador espírita.
Foi correndo assistir à palestra, pois havia recebido comunicação que essa seria a última palestra que ouviria dele.
Divaldo narra o ocorrido. (9)
A morte pode chegar antes.
Já perguntaram se eu, Formiga, ainda estava vivo.
Como escrevo, devem ter pensado que era o “espírito de Formiga”.
Foi por isso que resolvi escrever uma nota de não falecimento.
Coisas do “espírito de porco”. (10)
Desculpe!
Não morri, ainda!
Mas tenho péssima notícia: “vocês também vão morrer!”
Pior que a morte, só o desencanto, mesmo depois da morte. (11)
Esperemos, embalados pela esperança, a interrupção do fenômeno da reencarnação, daqueles que não tendem ao bem e que por isso não voltarão muito breve em próxima reencarnação. Estamos em “Regeneração”. Oremos por eles.
O Deus do filme “A Cabana”:
“Eles também são meus filhos!”

Referencias


1.http://portalespirito.com/neurj/esclarecendo-duvidas.htm
http://www.aeradoespirito.net/ArtigosLCF/ESCLARECENDO_DUVIDAS_LCF.html

2. http://orebate-jorgehessen.blogspot.com.br/2016/06/no-cremerj-desafiando-incredulidade.html

3. http://www.oconsolador.com.br/ano8/369/especial.html

4.https://www.facebook.com/AEEvora/posts/1888068084766605

5. http://www.espiritbook.com.br/profiles/blogs/tu-me-amas-por-luiz-carlos-formiga

6. http://orebate-jorgehessen.blogspot.com.br/2017/05/cracolandias.html

7. https://www.youtube.com/watch?v=H56QhWCIR9Q

8. http://orebate-jorgehessen.blogspot.com.br/2014/09/defunto-fresco.html

9. https://youtu.be/Ahi7CQqkYxw

10. http://orebate-jorgehessen.blogspot.com.br/2017/02/nota-de-nao-falecimento.html?m=1

11. http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/roberto-pompeu-de-toledo-cansaco-e-desencanto/

2 Comentários:

  • Bom dia! Li e reli seu artigo. Não que eu não o entendesse, mas porque precisava me apropriar dele, da singeleza e da profundidade trazida à tona na forma de um alerta tão paternal. Qual o sentido da Vida? E o que fazemos com tão abençoada dádiva? Você eu sei. Acompanho a semeadura. Tenho certeza de que colherá muito mais que palavras perfumadas pelo amor e dedicação ao bem. Abraço fraternal

    Por Blogger Juli Lima, às 28 de maio de 2017 02:57  

  • O Mundo mudou, a ciência evoluiu...
    Precisamos abandonar velhos paradigmas e sem preconceito observamos as informações trazidas pelos Espíritos aliadas aos avanços das pesquisas de vários cientistas comprovando essas informações.
    Qual o medo de verificar, analisar e tirar suas conclusões?
    Não perca tempo, estude e comprove.
    Não sabemos quanto tempo nos resta nesta existência!
    Vamos em frente!
    Marcos Fonseca

    Por Blogger Marcao, às 28 de maio de 2017 08:53  

Postar um comentário

<< Home