.

sábado, 27 de maio de 2017

CRACOLÂNDIAS

Luiz Carlos Formiga
Depois de perder o emprego, a dignidade e a razão, uma a mulher, pesando 34 kg, 1m e 67 cm de altura, foi resgatada à força pela família, da cracolândia em São Paulo.
Vivendo lá há 02 anos, ela fazia sexo com até 20 desconhecidos, por noite, ao preço de 05 reais, para consumir a droga no mesmo dia.
 Estava com sífilis, AIDS e tuberculose.
A doença causada pelo M. tuberculosis superava, em imagem, todas as fotos dos Tratados de Medicina.
Diz a médica Adriana Lisboa: a pessoa que abre mão de uma vida para se tornar um farrapo humano, está doente. Essa realidade em que vive, não é uma escolha ou uma forma de protesto. 
Como resgatar o último sopro de vida embalado em lixo e violência?
A médica afirma que quem defende a existência das cracolândias são os maus e desonestos, que enxergam o ganho político no sistema demagógico e os imbecis das claques de esquerda, que apenas repetem as mesmas bobagens de sempre.  (1)
Todos, temos pesadelos com os políticos, que destroem nossos sonhos.  (2)
Como sair deste pesadelo? Precisamos sonhar e agir.
A droga é apenas um epifenômeno. O que fazer para que outros no futuro não cheguem a este suicídio multifacetado?
        Para que a pessoa viva na plena consciência da existência se faz necessário encontrar um sentido para a vida. Impossível não lembrar de Amazonas Hercules. Mutilado pela doença, hoje chamada de hanseníase trabalhava pela kardequização no Centro Espírita, na colônia do Curupaiti. Rj.RJ.
        De onde lhe vinha a “força estranha”, que o fazia lutar por seus sonhos? (3)
O Movimento de Amor ao Próximo (MAP) procura materializar o sonho do Centro Espírita Imão Samaritano. No entanto, ainda recebe pouca ajuda do movimento espírita, na luta contra a “cracolândia” carioca. Rua Helena Galiaco Prata, s/nº – Quadra 16 – Bairro Santa Cândida – Itaguaí – RJ – CEP: 23822-120 – Casa de Abrigo e tratamento de Dep. Químicos. Tel: (21) 3392-5700 – 3392-5600. (4)
Lutando contra nossa impotência e incompetência, estamos participando nesta luta, contra os preconceitos que cercam os diferentes, desde que tínhamos cabelos negros. (5)
Sabemos que o melhor período para a prevenção é a idade infantil. (6)
No entanto, na cracolândia das universidades vamos encontrar os jovens. Como a universidade pode ser o seu local de trabalho, perguntamos:
        Seria válido formar um grupo espírita na universidade materialista (7) e nele discutir essas questões utilizando a ciência espírita? (8)
        Qual o valor da religiosidade na hora da crise?
Podemos constatar que as entidades religiosas são importante recurso comunitário de apoio ao tratamento da dependência química no Brasil, embora alguns espíritas insistam em apontar em outra direção. Estes espíritas não estudaram o assunto e remam contra a maré, nos fazendo lembrar alguns elementos do governo e o ditado que diz “que a inteligência é pecado sem perdão, quando mediocridade tem poder de decisão”.
Nossos políticos estão oferecendo maus exemplos e nossas crianças vão acabar achando que corrupção é coisa normal. (9)
Referências


1 Comentários:

  • Parabenizo a Médica Adriana Lisboa pela coragem em falar da cracolândia sem demagogia.
    E ao Formiga pelo alerta a todos nós.
    Abraços.
    Marcos Fonseca

    Por Blogger Marcao, às 28 de maio de 2017 09:08  

Postar um comentário

<< Home